Setor primário vai ter R$ 420 milhões