Fórum de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos discute estratégias de ação em reunião no Idam – IDAM

Fórum de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos discute estratégias de ação em reunião no Idam

Em reunião do Fórum Amazonense de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, que aconteceu na sede do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), Japiim, Zona Sul, na ultima terça-feira (03/04), contou com a presença e coordenação de Aurely Freitas e de Rafael Rocha, dos ministérios, público Estadual e Federal, respectivamente. O Fórum foi instalado em 2016 e desde então as reuniões acontecem mensalmente. Foram tratados diversos assuntos relacionados aos produtos agroquímicos usados na produção rural do Estado.

Rafael Rocha e Aurely Freitas dos Ministérios Público Federal e Estadual, respectivamente, e o Presidente do Idam, Luiz Herval

O coordenador, Rafael Freitas, frisou que é o responsável pelo acompanhamento do setor no âmbito do Ministério Público Federal, “sou eu que acompanho as atividades do Fórum e recentemente requisitei informações à Fundação de Vigilância em Saúde no Amazonas (FVS), sobre o funcionamento do lacen”. O presidente do Idam, Luiz Herval, presente na abertura do Fórum, informou que: “a nova Gerência Especializada em Produção Orgânica (Geap), já está em tramite para ser constituída no Idam”.
Na ocasião Mário Ono, responsável pelo setor de Agroecologia e Produção Orgânica do Idam, informou sobre palestra realizada por Cândido Oliveira do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), sobre mecanismos de controle dos produtos orgânicos, onde participaram 8 técnicos do Idam, das unidades locais da região metropolitana, no dia (22/03). Ele destacou também que, “nos dias 09 e 10 de abril, serão realizadas divulgações no Distrito de Novo Remanso, sobre o ‘Dia de Campo Limpo’, que ocorrerá no dia 21 de julho, no mesmo local”. Esta atividade será organizada pelo grupo de trabalho de agrotóxicos.
No Fórum, Carlos Magalhães, coordenador da Câmara Técnica de Agronomia do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) no Amazonas, comentou sobre a polêmica existente no país, sobre o receituário agronômico, onde, no momento, somente pode ser emitido por engenheiros agrônomos e não mais é permitido aos técnicos, o que tem causado muitas discussões. Ele frisou que: “em alguns estados a Justiça foi chamada a decidir sobre esta  questão”.

Participantes do Fórum de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos

A Federação de Agricultura e Pecuária do Amazonas (FAEA) através de seu membro Marcos Nogueira, disse que a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (Pec) que elevou para 3% o orçamento do setor primário, mostra o interesse do governo na valorização do agronegócio. Também o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam), através do seu membro, Marina Yasbek, informou que, será organizada a Semana Nacional do Alimento Orgânico e convidou o Fórum a participar do evento.
O coordenador da área de agrotóxicos da Agência de Desenvolvimento Sustentável Agropecuário e Florestal do Amazonas (Adaf), Michael Melo, disse que, o produto Paraquat, tem três anos como prazo para sair de circulação no Brasil, “depois deste prazo qualquer produto com o princípio ativo do Paraquat não será mais aceito para cadastro no Amazonas, para renovação”. Participaram também do evento membros da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), que pontuaram sobre questões de cunho ambiental em relação ao impacto dos agrotóxicos.
Por fim, o Fórum aprovou os seguintes tópicos para planos de enfrentamento ao uso indiscriminado de agrotóxicos no Estado do Amazonas. São eles: continuação do diagnóstico do uso de agrotóxicos; integrar as ações das instituições que fazem parte do Fórum; incentivar e fomentar a produção de base agroecológica e orgânica. A próxima reunião deverá acontecer no dia 26 de abril no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Por: Asscom/Idam