Manaus, 20 de outubro de 2014

IDAM

O Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas – IDAM, é uma autarquia com autonomia administrativa, jurídica e financeira, vinculado a Secretaria de Estado da Produção Rural – Sepror, criado em 18 de março de1996, por meio da Lei Estadual n° 2.384.

Como entidade oficial de Assistência Técnica e Extensão Rural – ATER, o IDAM é filiado a Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural – Asbraer, sociedade civil sem fins lucrativos que congrega as 27 instituições públicas estaduais responsáveis pela extensão rural no país.

O IDAM está presente nos 62 municípios do Estado, por meio de 66 unidades locais, atingindo com eficiência todas as sub-regiões do Amazonas.

O quadro de pessoal do instituto é composto por profissionais, de diversas áreas, incluindo Engenheiros Agrônomos, Técnicos em Agropecuária, Médicos Veterinários, Engenheiros Florestais, Engenheiros de Pesca, Zootecnistas, Contadores, Advogados, Engenheiros Mecânicos, Nutricionistas, Técnicos em Contabilidade, Técnicos em Planejamento, Técnicos em Enfermagem, Administradores, Comunicólogos, Bibliotecários, Pedagogos e outros servidores da área administrativa, como motoristas, fotógrafos, gráficos, desenhistas e pessoal de apoio.

IDAM Central

Sede Administrativa do IDAM Central, em Manaus

SERVIÇOS

  • Assessoramento técnico e gerenciamento aos agricultores familiares e suas organizações em atividades agrícolas e não agrícolas e beneficiamento da produção agropecuária;
  • Elaboração, implantação e acompanhamento de projetos de crédito rural;
  • Capacitação de agricultores;
  • Apoio ao fomento e a defesa agropecuária;
  • Apoio ao associativismo, cooperativismo e comercialização dos produtos agrícolas oriundos da agricultura familiar.

NOSSO PÚBLICO

  • Produtores rurais;
  • Agricultores familiares;
  • Criadores;
  • Extrativistas;
  • Indígenas;
  • Ribeirinhos;
  • Pescadores;
  • Piscicultores;
  • Assentados da reforma agrária;
  • Jovens e mulheres rurais de forma isolada ou organizada em associações;
  • Cooperativas;
  • E outras formas de organização existentes no meio rural.